Tudo Sobre as Neophemas

Tudo Sobre as Neophemas

Aqui irei tentar explicar-vos um pouco sobre estas aves a que me dedico.
Basicamente é tudo igual quer nos Bourkes/Esplêndidos/Turquoisines ou mesmo Elegantes visto serem tudo Neophemas, apenas há diferenças nas distinções dos sexos e mutações. 

Vou começar pela principal espécie a que mais me dedico que são os Turquoisines.


Neophemas Turquoisine

ESPECIE:
Neophema Pulchella

DISTRIBUIÇÃO:
Austrália Central e Meridional

DIMENSÕES:
23 Centímetros aproximadamente.

DIMENSÕES DAS ANILHAS:

Tamanho 4. 

DISTINÇÃO ENTRE OS SEXOS:
Nesta espécie normalmente existe dimorfismo sexual, ou seja existem diferenças na plumagem dos dois sexos. 
As fêmeas não tem a risca vermelha de lado na asa, a cabeça tem menos azul ou cinzento, caso sejam cinzentos, a plumagem é mais pálida e o tamanho é menor.

ATENÇÃO: Na mutação Opalino as fêmeas podem ter o vermelho de lado na asa, sendo que a distinção será feita apenas pela intensidade da cor dominante na cabeça (azul ou cinzento). Enquanto as aves ainda são jovens essa diferença pode não ser logo evidente, apenas destacando-se assim que terminarem as mudas.

CARACTERÍSTICAS SOCIAIS:
Os Turquoisines são aves muito sossegadas e silenciosas. Fazem pouco barulho e o seu cantar é bastante agradável e harmonioso.   São extremamente tolerantes, não causa qualquer problema, mesmo que sejam alojadas juntamente com a menor e a mais delicada das aves tropicais, inclusivamente durante a época de criação. (Eu não o faço por razões que irei explicar mais a frente)
Os Turquoisines devem ser criados em casais separados, uma vez que um grande número de casais coabitando no mesmo espaço, de um modo geral, não produz resultados satisfatórios, em termos de criação. 
Como havia referenciado anteriormente, a razão pela qual não o faço é devido à falta de controlo que se cria nos casais. Uma vez que me dedico as mutações destas espécies, eu  ao juntar duas aves, não as juntos apenas porque são bonitas, mas sim a pensar no que quero obter. Para tal é necessário ter algum conhecimento sobre a genética destas aves e saber o que elas podem ou não portar. Algo que se torna difícil de controlar numa colónia.
Daí a razão pela qual não o faço.


ALOJAMENTO ADEQUADO:
Os Turquoisines podem ser criados tanto no interior como no exterior desde que tenham um espaço para se resguardar.
Especial atenção que ao criar no exterior há que ter um certo cuidados com as correntes de ar, ou seja, há que cortar os ventos. Faz muito bem as aves apanhar sol e chuva, desde que que estejam bem ambientadas ao espaço exterior. 
As dimensões que eu crio as minhas aves são em gaiolas com 1m comprido x 0.5 altura x 0.5 largura. A meu ver é suficiente para quem não tem muito espaço. Contudo não dispensar a ida a uma voadeira maior no período de descanso para as aves se poderem exercitar.
As aves não são destruidoras. 
Também pode manter os Turquoisines numa gaiola espaçosa em recinto fechado. 
No entanto, relativamente à falta de espaço, as aves devem poder distender as asas no exterior da gaiola, de vez em quando.

TEMPERATURA AMBIENTE:
Os Turquoisines são aves relativamente resistentes e podem sobreviver ao Inverno, desde que tenham acesso a um abrigo nocturno que as proteja de geada. Normalmente, dispensam um aquecimento suplementar.
Como nós cá em Portugal o nosso inverno até é rigoroso e nessa altura estou em criações, tenho as minhas aves mais resguardadas na sala de criações (sem qualquer aquecimento e com abertura directa para o exterior), ajudando assim a que não se chegue tão facilmente a temperaturas negativas. Com isto, evito um dos grandes problemas desta altura para quem está em criações que é mortalidade das fêmeas devido a ovos entalados.

ALIMENTAÇÃO:
Estas aves podem ser alimentadas com uma dieta básica que inclua uma mistura especial de sementes. Além disso, durante a época de criação, apreciam pequenas quantidades de alimento à base de ovos próprio para periquitos. De vez em quando, pode dar-lhes algumas verduras. Não seja excessivamente generoso, uma vez que o abuso de alimentos verdes provoca irrevogavelmente problemas intestinais. As aves devem também dispor de areia em quantidades suficientes.

De seguida apresento toda a alimentação que dou às minhas aves:



                   
Nada melhor que uma boa ração para manter a sua ave saudável.
Eu uso tanto a ração como a papa da Deli Nature. Para mim as melhores do mercado.
A Ração é a 70 - Neophemas Premium (Alpista, Milho alvo amarelo, branco, vermelho e japonês, Linhaça, Cânhamo, Semilha).

           
A papa da Deli Nature é uma papa seca. Deli Nature Papa de Ovo - Periquito 10kg.
Na altura em que as aves têm crias dou-lhes também uma outra papa mas é húmida. Assim têm a disposição uma alimentação mais variada na altura de criação.


Uma Guloseima que eles adoram... Espigas de milho painço.


Para os ajudar a afiar e desgastar o bico bem como uma fonte de cálcio, dou-lhes osso de choco.


Por fim e não menos importante, para os ajudar a digerir os alimentos, o grit.



ACTIVIDADES:
Os Turquoisines são aves muito calmas que, sendo adquiridas quando jovens, aprendem rapidamente a confiar no tratador. Contrariamente à maior parte das espécies de periquitos, os Turquoisines não cantam muito, mas quando o fazem, produzem um canto melodioso, suave e muito agradável. Também não tem tendência para roer. Uma vez por outra, pode borrifá-los com jactos ultra finos, por meio de um borrifados de plantas.
Na altura do verão, como temos cá temperaturas bastante elevadas um bom banho sabe-lhes pela vida.

CRIAÇÃO:
De um modo geral, os Turquoisines são boas aves de criação que se dedicam de uma forma empenhada e essa tarefa. A caixa de ninho deve ter uma área com cerca de 20x20 centímetros e uma altura entre 30 e 35 centímetros. O orifício da entrada deve Ter 7 centímetros de diâmetro. Os Turquoisines não nidificam, mas gostam, de pôr os ovos na superfície macia e ligeiramente húmida. Para isso, pode colocar musgo de turfa ou pedaços de madeira apodrecida ou serradura. Põem entre 3 e 6 ovos que a fêmea choca durante um período de 18 a 20 dias, aproximadamente. A plumagem surge quando as cria tem cerca de duas semanas de vida, mas estas são alimentadas durante mais duas a três semanas, predominantemente pelo macho. Frequentemente, a fêmea já está empenhada na preparação da postura seguinte. Os Turquoisines estando em boas condições físicas e desfrutando de uma boa alimentação variada, podem ter com êxito duas, ou menos três ninhadas por época. As crias apresentam a sua plumagem definitiva ao fim de oito meses de vida, aproximadamente. 

Época Ideal de Criação: de Final de Fevereiro/ Inicio Março até Final do Verão. Estas aves conseguem criar todo o ano por isso pode mudar as alturas.

A minha época de criação começa no final de Setembro assim que passar mais as altas temperaturas e vai até Maio/ inicio Junho. 
Inicio com a desparatização.
Formação dos casais e complexos vitaminicos.
Ao fim de duas semanas coloco os ninhos.

Uma vez que me iniciei nas exposições e como elas são no final do ano tive que iniciar a época de reprodução mais cedo para que as aves tivessem tempo para fazer as mudas e prepará-los para a exposição.

Estes são os ninhos das minhas aves, em contraplacado marítimo.
São melhores que os de pinho uma vez que após lavados os de pinho começam a ganhar fissuras e estes não. Pela diferença de preços vale a pena.




               
         




MUTAÇÕES:


Nos Turquoisines temos a BASE que é a Mutação Selvagem o Verde.

Temos depois as seguintes mutações:

Diluído - Mutação Recessiva 
Cinnamon ou Canela - Ligado ao Sexo (SEX LINK)
Opalino - Ligado ao Sexo
Cinzento - Dominante

A Nível de Frentes das aves temos:

Frente Amarela 
Barriga Vermelha (BV)
Barriga e Peito Vermelho (BPV)

Infelizmente cá nos Turquoisines só temos estas mutações mas já estão desenvolvidas outras como o Pálido e o Violeta.

Dou-vos agora uma pequena ajuda sobre o funcionamento da genética destas aves:

Uma mutação que é RECESSIVA, tanto os machos como as fêmeas podem portar. 
São necessários dois portadores para tirar a mutação ou um portador com a mutação em questão, que nesta espécie é apenas o Diluído que funciona assim.

Uma mutação que é LIGADA AO SEXO ou SEX LINK em Inglês, apenas os macho podem ser portadores. As fêmea apenas podem ser daquela mutação, nunca podem portar. Por exemplo uma fêmea normal nunca pode ser portadora de opalino nem de cinnamon. 

Uma mutação que é DOMINANTE, nunca pode haver aves portadoras. Nesta espécie a mutação Dominante é o Cinzento, isto é as aves ou são cinzentos ou não são, nunca podem ser portadores. 

IMPORTANTE: No CINZENTOS temos o Simples Factor (SF) e o Duplo Factor (DF).
A diferença a nível visual é que o DF é mais escuro, a nível genético se cruzarmos um verde com um cinzento DF, todas as crias serão cinzentas de SF. 
Podem ver essas diferenças na página: Diferenças nas Mutações


Deixo-vos aqui um link de uma calculadora genética sobre os Turquoisines.



Bourkes

ESPECIE:

Neopsephotus Bourkii


O Bourkii, antigamente considerado uma neophema deixou de o ser devido a esta espécie ser a única que na  sua cor selvagens não contem a cor verde. 


DISTINÇÃO ENTRE OS SEXOS:
Habitualmente, a fêmea tem um porte ligeiramente menor do que o macho e a cabeça é também menor. No caso das aves com uma plumagem natural, a fêmea é igualmente reconhecível pela ausência das penas azuis na testa ou pela presença menos vistosa dessas penas.

MUTAÇÕES:


Temos então os Bourkes Normais que é o chamado Selvagem.

Opalino - Ligado ao Sexo (SEX LINK)
Ino Ligado ao Sexo (SEX LINK)
Bronze Fallow - Mutação Recessiva
Pale Fallow - Mutação Recessiva

Opalino Ino (Rubinos)
Edge
Spangle
Malhados
Violeta

Deixo-vos aqui um link de uma calculadora genética sobre os Bourkes: 

http://www.gencalc.com/gen/eng_genc.php?sp=0NeofBour





Sem comentários:

Enviar um comentário